Notícias

Declaração política: Em defesa da legalidade e em solidariedade ao ex-presidente Lula

 

O Sindicato dos Químicos do ABC se orgulha de ter encampado desde o seu início, há mais de 30 anos, o projeto que veio para mudar o Brasil para melhor a partir da eleição do presidente Lula no final de 2002. Durante o desastroso governo neoliberal de Fernando Henrique Cardoso (FHC) do PSDB assistimos a categoria química do ABC ser reduzida a apenas 25 mil trabalhadores: com Lula no governo, voltamos a ter 40 mil trabalhadores em nossas empresas.

As políticas sociais de Lula atraíram admiração do mundo para o Brasil: 42 milhões de brasileiros saíram da miséria e 38 milhões ascenderam à classe média; milhões de empregos foram gerados; pagamos a dívida externa e passamos a ser credores do FMI; o PIB per capita saltou de R$ 7,6 mil a R$ 24,1 mil; milhões passaram a ter acesso à energia elétrica e a chamada “indústria da seca”, secou; jovens pobres e negros chegaram às universidades; a fome e o trabalho infantil reduziram drasticamente.

As elites oposicionistas desse país nunca aceitaram esses avanços e agora veem a oportunidade, no contexto da Operação Lava-Jato, de envolver e tentar prejudicar Lula para impedi-lo a todo custo de concorrer novamente à presidência da República. Os ataques ao ex-presidente são diários e sistemáticos por parte da imprensa golpista como Veja, Globo e Folha entre outros. Desvirtuam e omitem fatos para prejudicar Lula, Dilma e seu governo.

O auge desse desvio de conduta se deu com a condução coercitiva do presidente Lula para depor em um processo em que sequer estaria sendo investigado e sem prévia convocação ou negativa de sua parte para depor. Agora, três promotores paulistas pedem a prisão de Lula baseados em suposições e notícias daquela mesma falsa imprensa.

A militância dos Químicos do ABC foi chamada às ruas para defender Lula e a legalidade democrática. Direção e membros de Comissões de Fábrica implementam desta forma, decisões do congresso da categoria que condenam desvios da Justiça e defendem o governo da presidente Dilma, ainda que nos opomos à sua política econômica.

Nunca antes na história deste país se investigou e se combateu tanto a corrupção. Lula e Dilma criaram as condições para isso ao modernizar e ampliar a Policia Federal e a Justiça Federal, criar a Controladoria Geral da União e o Portal da Transparência, além de propor ou ratificar toda a legislação anticorrupção vigente. Ambos sempre preservaram a autonomia e independência dos poderes e nunca interferiram para arquivar processos.

A politização da Operação Lava-Jato fica evidente com a perseguição e desrespeito para com o ex-presidente Lula, cidadão brasileiro que é também uma liderança popular e global. A diretoria do Sindicato dos Químicos do ABC se posiciona em defesa da legalidade e em solidariedade ao ex-presidente.

A Diretoria

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: