Notícias

Lula: Quem está no banco dos réus sou eu, mas o condenado foi o povo brasileiro

#CadêaProva! Do Norte ao Sul do País, julgamento de Lula é marcado por protestos populares contra a perseguição judicial

Em ato histórico na Praça da República, Lula se pronunciou a mais de 50 mil pessoas após o julgamento dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) em Porto Alegre. Calejado com as constantes perseguições políticas, há mais de 30 anos, de setores conservadores e reacionários do empresariado, imprensa e judiciário, foi ele que consolou os milhares que foram prestar sua solidariedade e apoio ao ex-presidente operário. As palavras e o carisma desse líder extraordinário reacenderam a chama da esperança e da necessidade de manter-se em luta por um país com igualdade e justiça para todos.

"Não desistam nunca. Não esmoreçam nunca. Não desanimem nunca. Porque eles estão tirando de nós o direito de ser feliz, o direito de sonhar, o direito de ter esperança. Uma sociedade sem sonho, sem esperança e sem direitos não é uma sociedade, é uma boiada. E nós não somos gado, nós somos seres humanos!", disse a uma gigantesca plateia de pessoas indignadas pela decisão política do TRF-4.

"Nunca tive ilusão com juízes da Lava Jato. Por que? Porque houve um pacto entre poder judiciário e imprensa que resolveu que era hora de acabar com o PT e nossa governança no país", discursou. "Não quero que fiquem preocupados com o Lula. Quero que fiquem preocupados com os 210 milhões de brasileiros, sobretudo os trabalhadores que vivem de salário nesse País", alertando sobre os rumos que o Brasil após mais essa etapa do golpe.

"Quero que saibam que eu não tenho preocupação, eles não podem prender um sonho de liberdade, ideias, a esperança. Lula é apenas um homem de carne e osso. Podem prender o Lula, mas as ideias já estão colocadas na cabeça dos brasileiros", finalizou.

O legado de Lula que querem apagar

Lula elevou o Brasil a sexta economia do mundo, pagou a dívida externa e despachou o FMI, aumentou o salário mínimo, instituiu programas sociais em benefício dos mais necessitados, tirou milhões e milhões de pessoas da miséria, erradicou a fome do país, levou água para regiões de seca do nordeste e ampliou o acesso à energia, entre outras coisas. E tudo sem diminuir os direitos de ninguém, nem verbas da educação e da saúde.

Mostrou que tudo isso era possível, sem vender o país nem caro nem barato. Não por acaso a confirmação da condenação do ex-presidente fez com que a bolsa de valores de São Paulo batesse novo recorde histórico de alta. Aqueles poucos que enriquecem cada vez mais a cada dia com a especulação e a exploração do trabalho celebraram. 

Mobilização por todo o País

O julgamento do ex-presidente pelo TRF-4, em Porto Alegre, foi acompanhado por manifestações em todo o país.

Além da vigília na capital do rio Grande do Sul, que concentrou as mobilizações de diversos movimentos populares da cidade e do campo, foram realizadas manifestações em apoio a Lula nas capitais e cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Sergipe, Bahia, Paraíba, Pará e Ceará.

Em São Paulo, a mobilização foi realizada na Praça da República, no centro da cidade. Por volta das 20h30, o presidente Lula discursou diante das cerca de 50 mil pessoas que estavam no local.

Dirigentes do Sindicato e militantes da categoria química do ABC estiveram presentes o dia todo em vigília no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, e, à noite, no ato na capital.

Acompanhe abaixo o discurso completo do ex-presidente Lula no ato em São Paulo


 

Crédito Fotos:

Homepage: Bruna Piazzi | Esquerda Online

Lula falando na Praça da República: Ricardo Stuckert

Manifestação Praça da República: Roberto Parizotti (CUT)

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: