Notícias

Sindicato marca 80 anos de história com livro e projetos para 2019

Na cerimônia realizada um dia após o 1º turno das eleições, DEFESA DA DEMOCRACIA esteve reforçada em todos os discursos

Na noite desta segunda-feira, 8 de outubro, o Sindicato dos Químicos do ABC celebrou os 80 anos da entidade com lançamento de uma publicação e de um projeto comemorativo. Várias personalidades políticas, representantes das empresas químicas e lideranças sindicais prestigiaram a atividade e saudaram os 80 anos da entidade com discursos em defesa da democracia e contra o retrocesso e o autoritarismo, temas que estarão em disputa no segundo turno.

“Se a gente não tem uma indústria nacional forte a gente não tem emprego de qualidade....E toda vez que a gente tem uma indústria química desnacionalizada a gente perde qualidade de emprego, perde salário, perde postos de trabalho”, lembrou o presidente do Sindicato, Raimundo Suzart, em seu discurso, destacando que o setor químico e a região do ABC perderam 30% da mão no último período.

 

“A maior indústria química do nosso país (Braskem) está para ser vendida, o que significa que 300 pesquisadores vão ser mandados embora e ninguém nos convence que as pesquisas continuarão ser feitas no Brasil. De que forma serão feitas se a matriz não permite? Hoje estamos comemorando os 80 anos, mas uma comemoração de resistência, de luta e sabendo que amanhã cedo estaremos na porta de fábrica, tentando conscientizar do que está por vir, muito pior do que imaginamos. Jamais aceitaremos de volta o fascismo, nem que seja discutido e implantado no nosso país o nazismo”, alertou. “Este senhor que está fazendo 80 anos vai nos cobrar muito se a gente não reverter esta situação. É não é questão de PT, de partido político, é defesa do País, porque quem está dizendo que é nacionalista é na verdade entreguista. E não podemos aceitar que todas as indústrias nacionais sejam vendidas”.

Publicação: A história 2008 – 2018

O livro que marca os 80 anos do Sindicato foi organizado pelo ex-presidente do Sindicato Remígio Todeschini e completa a obra do historiador Ademir Médici, que marcou os 70 anos do Sindicato com um resgate histórico da entidade desde a sua fundação, em 1938.

 

Além do livro, como parte das comemorações dos 80 anos, o Sindicato lançará um selo comemorativo oficial dos Correios e concursos de escultura e de redação

O concurso de escultura será para a escolha de uma obra de arte que melhor simbolize os 80 anos da entidade e o vencedor ou vencedora terá sua peça reproduzida e instalada no saguão da sede socia do Sindicato em exposição permanente.

O de redação “Química na Escola”, buscará levar às crianças e adolescentes do ensino fundamental 2 (6º ao 9º ano) a reflexão sobre a relevância do trabalhador e trabalhadora química a história da categoria, o surgimento do Polo Petroquímico na região e sua importância para o desenvolvimento do Grande ABC.

As empresas parceiras do projeto são: Cabot, CBC, Braskem, Voss Automotive

Em breve, haverá um hot site do projeto, com todas as informações e orientações sobre a participação em ambos os concursos.

CONFIRA AQUI AS FOTOS DA CERIMÔNIA

 

 

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: